Eventos

O congresso de iniciação científica da Unicamp é esta semana, confira os anais do evento!

O XXIV Congresso de Iniciação Científica da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) ocorrerá esta semana entre os dias 19 e 21 de outubro, no Centro de Convenções e no Ginásio Multidisciplinar da universidade.

O evento agrega todos os alunos de graduação da Unicamp que mantenham alguma pesquisa acadêmica, sendo que para os alunos que tenham recebido bolsa de fomento por pelo menos três meses a participação é obrigatória para apresentar os resultados obtidos até o momento, explica o químico da Unicamp e organizador do evento, Fernando Coelho:

“Por enquanto, esse congresso acaba sendo uma obrigatoriedade dos alunos e não podemos tirar a exigência porque faz parte do contrato que temos com o CNPq. Mesmo assim, estamos vendo que o crescimento da adesão dos estudantes, independente da obrigatoriedade. Isso é muito bom! Mostra que o evento está realmente atingindo os objetivos dele.” - Fernando Coelho, IQ/Unicamp

O congresso não é exclusivo só para alunos que receberam bolsas de pesquisa por programas da Unicamp, sendo que bolsistas da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) também podem apresentar, mesmo sem a obrigatoriedade. Coelho acrescenta que há uma campanha interna que incentiva os orientadores com bolsistas Fapesp a participarem com eles; a apresentação por estudantes com pesquisa voluntária também vem crescendo.

“Lançamos o programa de iniciação científica voluntária mais ou menos há um ano e já temos mais de 100 alunos fazendo a iniciação científica de forma voluntária.”, comemora o organizador.

Ao todo serão 1.518 trabalhos avaliados no formato de pôster e divididos em cinco grandes áreas: Humanas, Biomédicas, Exatas, Tecnológicas e Artes. No entanto, um dos diferenciais desta edição é que as apresentações não serão agrupadas em dias diferentes por áreas, ou seja, os três dias terão painéis de trabalhos dos cinco eixos temáticos.

Coelho justifica a mudança como incentivo ao diálogo entre as grandes áreas para até mesmo a promoção de pesquisas interdisciplinares, nas quais a Unicamp se destaca.

“O ano passado dividimos os alunos por grandes blocos temáticos, então, o aluno ficava muito mergulhado na área dele. Já este ano ele não ficará mais restrito a sua área, mas terá que dialogar com todas as áreas do conhecimento. Agora, ele estará apresentando seu trabalho, vamos supor, de engenharia para alguém da área de artes, da medicina… Ou por um físico ou por um químico… Um grupo maior e mais variado de pessoas poderá conhecer e interagir com o trabalho dele.” - Fernando Coelho, IQ/Unicamp

Além das apresentações e avaliação dos painéis, a programação conta com três palestras de pesquisadores e professores da Unicamp:

  • Milton Mori, engenheiro químico da Inova discutirá experiências universitárias sobre inovação e empreendedorismo;
  • Li Li Min, neurologista que conversará a respeito de neuroquímica cerebral, abordando principalmente stress, paixão e atividade física;
  • Douglas Galvão, físico que preparou a fala sobre "Simulando a Natureza: de Nanotubos a Formigas" (veja aqui a programação).

O encontro faz parte do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) da universidade, programa que também recebe apoio do CNPq e do Serviço de Apoio ao Estudante (SAE/Unicamp), sendo que atualmente são vigentes 624 bolsas pelo CNPq mais 15 concorridas por alunos que ingressaram por ações afirmativas na Unicamp e 244 bolsas pelo SAE mais 35 concorridas por ações afirmativas; todas obedecendo mesmos critérios para aprovação do fomento.

O PIBIC tem a proposta de oferecer um ambiente no qual os alunos de graduação da Unicamp se interessem pela pesquisa acadêmica, o que pode também reduzir o tempo médio dos cursos de mestrado e doutorado, já que os alunos terão conhecimento básico de pesquisa, ressalta sobre Coelho sobre a relevância do programo e do congresso:

“O PIBIC e o congresso são fundamentais para a Unicamp.  O evento tem até um mote que diz ‘A pesquisa da Unicamp começa aqui!’, que resume claramente qual é a importância do PIBIC para a Unicamp. Para o aluno também é importante porque além dele fazer um estágio de iniciação científica, ele vai aprender ainda mais sobre uma determinada técnica e sob formas de apresentação. O que melhora o seu raciocínio teórico, a sua capacidade de analisar dados e na sua formação, mesmo que esse aluno não siga para a pós-graduação.” - Fernando Coelho, IQ/Unicamp

Fora a experiência, o evento ainda traz como motivação uma premiação aos 20 melhores trabalhos. O organizador explica que um comitê interno pré-seleciona os melhores trabalhos de cada área temática para concorrer os prêmios por um comitê externo convidado. “É uma tarefa extremamente complicada. Os avaliadores reclamam porque ficam com uma tarefa muito inglória de escolher os destaques entre trabalhos muito bons, então os critérios ficam cada vez mais difíceis para seleção.”, complementa Coelho.

As 20 pesquisas de iniciação premiadas receberão 3 mil reais e recursos para participação da próxima Jornada Nacional de Iniciação Científica da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), que será sediada pela Universidade Federal de Minas Gerais em 2017.

Esta edição do congresso do PIBIC já disponibilizou os anais eletrônicos do evento, publicados pelo Galoá (acesse aqui). Coelho explica que a motivação pela publicação eletrônico foi de aumentar ainda mais a visibilidade do evento, já que o Galoá é membro autorizado da Crossref para o depósito de DOI em publicações acadêmicas.

“Conseguimos colocar em cada trabalho um código DOI, permitindo a recuperação dessas publicações em qualquer lugar do mundo. Isso influenciou no crescimento de trabalhos em inglês porque os orientadores sabem que com o DOI o trabalho não se perde e pode ser acessado por qualquer um, iniciando uma internacionalização do evento.”  - Fernando Coelho, IQ/Unicamp

O organizador acrescenta que mantém a publicação com o Galoá pela confiança e retorno mensal de acessos que recebe dos trabalhos:

“No ano passado participei no congresso do PIBIC com um dos meus alunos e eu sempre recebo as estatísticas de acessos. Isso é realmente muito bom.”  - Fernando Coelho, IQ/Unicamp

Deseja conhecer os trabalhos que serão apresentados este ano? Os anais do congresso PIBIC de 2016 já estão disponíveis na plataforma Galoá. Confira aqui os proceedings!