Anais e Proceedings

Quais foram os trabalhos mais acessados do SINAFERM-SHEB 2015 até agora?

O Simpósio Nacional de Bioprocessos (SINAFERM) tradicionalmente ocorre, a cada dois anos, junto com o Simpósio de Hidrólise Enzimática de Biomassas (SHEB), ambos realizados pela Associação Brasileira de Engenharia Química e comissões organizadoras.

Este ano, o evento está previsto para acontecer entre os dias 3 e 6 de setembro de 2017 na Universidade de Tiradentes (Unit) em Aracaju, capital sergipana (confira aqui a programação confirmada).

E para já entrar no clima dos debates de bioprocessos que estão prestes a acontecer, resolvemos reunir quais foram os trabalhos mais visualizados na edição anterior, a qual os anais estão indexados na plataforma Galoá Proceedings com depósito de DOI individualizado.

O DOI é um código alfanumérico inquebrável que permite que qualquer pessoa conectada à internet possa encontrar o trabalho, sendo possível associá-lo em registros acadêmicos como no Currículo Lattes, se tiver curiosidade, explicamos aqui como inserir o DOI de um trabalho no Lattes.

Por que depositar DOI?

Confira com quem já depositou com o Galoá!

“Com a publicação dos anais com o DOI, o nosso evento teve mais visibilidade e destaque para os organizadores e participantes.”

Prof. Dr. Adriano Andrade (UFU) - 9º SEB

Entre as vantagens de se ter os anais de evento com DOI na plataforma Galoá é que os dados sobre os acessos são mais precisos, medindo indiretamente o impacto social que os trabalhos geraram, como o número de visualizações, como vamos relatar aqui sobre a última edição do evento.

O XX SINAFERM e XI SHEB foram realizados do dia 01 a 04 de setembro de 2015 no Hotel Praia Centro em Fortaleza, capital cearense. A edição de 2015 dos simpósios contou com 12 eixos temáticos, sendo que desde a publicação dos anais até o mês de agosto de 2017 foram estes os trabalhos mais visualizados:

 

        TOP 10: trabalhos mais visualizados de 2015 a 2017                                   Acessos 

1

Potencial de biossurfactante bacteriano como agente de limpeza de derramamento de óleo em areia de praia

2342

2

Acompanhamento cinético da hidrólise enzimática de celulose da palma forrageira (Opuntiaficus-indica Mill)

2267

3

Aplicação de fração hemicelulósica de sabugo de milho na obtenção de goma xantana

2111

4

Adsorção física de lipase de Burkholderia cepacia em fibras de coco da palma obtidas de resíduos agroindustriais

2027

5

Ácido maltobiônico: Efeito do pH e da temperatura na síntese biocatalítica por Zymomonas mobilis

1984

6

Acúmulo de carboidratos nas microalgas Spirulina platensis E Chlorella homosphaera visando a produção de bioetanol

1980

7

Adsorção física de lipase de Burkholderia cepacia em biochar produzido por pirólise de fibras de como da palma obtidas de resíduos agroindustriais

1908

8

Agarose ativada com difenilsulfona: Um suporte adequado para promover uma intensa ligação covalente multipontual com tripsina e quimiotripsina

1903

9

Adsorção de IgG em ligantes de interação mistar contendo grupo fosfato: Efeito do sistema tamponante e do pH

1897

10

Adsorção de proteínas do soro humano em quitosana/alginato epoxidado imobilizado com corantes reativos: influência dos sistemas tamponantes

1877

 

TOP 10: Conheça brevemente os trabalhos

1) Potencial de biossurfactante bacteriano como agente de limpeza de derramamento de óleo em areia de praia: por Samuel Araujo de Oliveira; Bárbara Cibelle Farias; Gabrielly Oliveira da Silva; Santiago Moura; Mirella Pereira; Denise Hissa; V. M. M. Melo

“Marés negras” é o termo utilizado para nomear a poluição dos mares causada por manchas de petróleo e seus derivados, sendo que elas resultam graves catástrofes ambientais que merecem atenção. Isso foi o que motivou os autores a analisarem o potencial de biossurfactante bacteriano como agente de limpeza em areia de praia contaminada com os óleos, que ao adicionar sobrenadante bruto de Bacillus TIM96 em areia de praia contaminada foi possível remover 91% de forma não tóxica.

2) Acompanhamento cinético da hidrólise enzimática de celulose da palma forrageira (Opuntiaficus-indica Mill): por Líbia de Sousa Conrado; Alberto Brandão Torres Neto; Jose da Silva Neto; Beatriz Azevedo

Com a problemática da poluição causada pela queima de petróleo, cresce o número de pesquisas sobre bioetanol, como este trabalho que focou na análise da palma forrageira, presente em regiões áridas e semiáridas do nordeste brasileiro, como alternativa. Para a análise, foi utilizada a hidrólise enzimática para converter celulose em glicose, obtendo-se 70% de rendimento.

3) Aplicação de fração hemicelulósica de sabugo de milho na obtenção de goma xantana:  por Elisiane Reis; Paulo Leonardo Lima Ribeiro; Vanessa Zanatta; Marcio Campos; Janice Druzian; Daniel Pereira da Silva; Denise Ruzene; Francine Padilha

A goma de xantana tem grande importância na área industrial, sendo que comercialmente são usadas a sua glicose e sacarose, tornando-se interessante minimizar os custos de produção. Com essa intenção, a equipe avaliou e concluiu que o uso de frações hemicelulolíticas da extração alcalina de sabugo de milho tem potencial positivo para se obter a goma.

4) Adsorção física de lipase de Burkholderia cepacia em fibras de coco da palma obtidas de resíduos agroindustriais: por Anderson Barbosa; Arthur Nobre Marques; Danyelle Andrade Mota; Lays Carvalho de Almeida; Alini Tinoco Fricks; Álvaro Silva Lima; Cleide Mara Faria Soares

Por meio da técnica de adsorção física, os pesquisadores concluíram que o biocatalisador imobilizado em fibra de coco da palma apresentou uma boa eficiência no rendimento de imobilização, sendo possível utilizá-lo no setor comercial para modificar óleos vegetais.

5) Ácido maltobiônico: Efeito do pH e da temperatura na síntese biocatalítica por Zymomonas mobilis: por Diógenes Lunardi Garin; Débora Guerra Salvador; Victoria Maria Baschera; Sabrina Carra; Geciane Toniazzo; Mauricio Moura da Silveira; Eloane Malvessi

O ácido maltobiônico pode ser usado no setor industrial de cosméticos já que possui poder umectante e antioxidante presente em cremes, loções, xampus e afins por manter pele e cabelos hidratados, sendo importante conhecer o efeito do pH e temperatura na síntese biocatalítica em células imobilizadas de Zymomonas mobilis.

6) Acúmulo de carboidratos nas microalgas Spirulina platensis e Chlorella homosphaera visando a produção de bioetanol: por Ana Cláudia Margarites; Elenara de Araujo; Noany Volpato; Luana Garbin; Telma E. Bertolin; Luciane M. Colla; Jorge Alberto Vieira Costa

Como já comentado neste texto, cresce o número de pesquisas que buscam alternativas frente aos derivados de petróleo, como este trabalho que foca na utilização de microalgas para produção de biodiesel e bioetanol, sendo necessário o acúmulo de carboidratos e lipídios intracelulares para um bom crescimento. No estudo foram selecionadas as microalgas Chlorella homosphaera e Spirulina platensis para comparação, constatando em ambos casos crescimento com adição de glicose.

7) Adsorção física de lipase de Burkholderia cepacia em biochar produzido por pirólise de fibras de como da palma obtidas de resíduos agroindustriais: por Danyelle Andrade Mota; Anderson Barbosa; Mozart Daltro; Lisiane Santos Freitas; Alini Tinoco Fricks; Álvaro Silva Lima; Laiza Canielas Krause; Cleide Mara Faria Soares

Desta vez, a lipase de Burkholderia cepacia (LBC) foi imobilizada em biochar, um carvão vegetal, obtido por pirólise da fibra do coco da palma pela técnica de adsorção física, que em análises se mostrou como uma boa alternativa como suporte na imobilização de enzimas.

8) Agarose ativada com difenilsulfona: Um suporte adequado para promover uma intensa ligação covalente multipontual com tripsina e quimiotripsina: por Luciana Rocha Barros Gonçalves; José Cleiton Sousa dos Santos; Roberto Fernandez-LaFuente

O trabalho buscou compreender as taxas de imobilização estabilidade e números de grupos envolvidos nas preparações imobilizadas das enzimas tripsina e quimotripsina para a Agarose ser ativada com difenilsulfona.

9) Adsorção de IgG em ligantes de interação mistar contendo grupo fosfato: Efeito do sistema tamponante e do pH: por Gisele Luiza Pavan; Angélica Grespan; Sonia Maria Alves Bueno

Segundo as autoras, na maioria das vezes se obtém Imunoglobulina G (IgG), um anticorpo,, por meio de cromatografia de afinidade com Proteínas A e G imobilizada, que é uma técnica que identifica substância e separa misturas; porém, esse método tem alto custo, sendo que a utilização de ligantes pseudobioespecíficos (mais baratos) têm apresentado bons resultados.

10) Adsorção de proteínas do soro humano em quitosana/alginato epoxidado imobilizado com corantes reativos: influência dos sistemas tamponantes  por Natália Aragão Dias; Diego Romão Gondim; Igor Tadeu Lazzarotto Bresolin; Diana Azevedo; Ivanildo Silva Jr

Os pesquisadores explicam que o objetivo do trabalho foi realizar uma análise comparativa de sistemas tamponantes na purificação de IgG do soro humano usando os corantes Reativo Azul 4 e Reativo Verde 5 imobilizados em quitosana/alginato epoxidado.

 

E esses foram os breves resumos dos 10 trabalhos mais visualizados do SINAFERM-SHEB 2015. Você ainda consegue buscar os outros trabalhos disponíveis online aqui. Ao todo, foram 591 resumos aceitos e publicados online com DOI individualizado na edição.

 

Caso tenha dúvidas sobre o depósito de DOI em anais de eventos ou indexação de anais em nossa plataforma, mande seu contato no formulário para nossa equipe lhe ajudar!

Leia mais:

Converse conosco!

Nossa equipe é especializada em comunicação científica e pode lhe ajudar!

“Conheci a empresa por indicação de uma amiga, mas já digo que é um trabalho bem profissional. Percebo isso pela rapidez com que a equipe Galoá atende as necessidades do evento.”

Prof. Dr. Warley Borges (UFES) - 6th BCNP