DOI e ISSN

Novidades Crossref: Dados sobre financiamento disponíveis e fácil identificação de autores

Nesta segunda feira o Galoá participou de um webinar - uma webconferência em que a interação da plateia ocorre pelo chat - oferecido pela Crossref aos seus membros oficiais sobre a importância do depósito de dados sobre as agências financiadoras de um artigo depositada via Crossref para se ter o código individual DOI.

A webconferência continuou com a Crossref informando sua interoperabilidade com a ORCID, o que facilitará a organização de artigos pelos pesquisadores.

As explicações foram concedidas por Edilson Damasio, cientista da informação da Universidade Estadual de Maringá (UEM), que relatou a ausência de padronização dos dados sobre quais pesquisas receberam financiamento e de quais agências. O cientista da informação também apontou para os problemas de identificação de quais autores assinaram um artigo, apenas pelo nome de citação, já que pode haver mais cientistas com mesmo nome; como solução a Crossref ressaltou sua parceria com a ferramenta ORCID para minimizar esses desencontros.

Confira a seguir as discussões.

 

Funding Data: Ferramenta para depósito de informações sobre financiamento de pesquisa

A não inserção dos metadados sobre quais trabalhos depositados via Crossref receberam financiamento, ou a não normalização dessas informações, dificulta a confirmação se os beneficiados das agências de fomento estão as citando em suas publicações, o que normalmente acontece nos agradecimentos quandos os autores costumam informar também o número do processo aprovado para possível consulta.

Damasio explica que o problema de haver esse desencontro de dados não existe apenas para as financiadoras que perdem o controle se as pesquisas que patrocinam as mencionam, mas também porque o público não consegue consultar quais trabalhos estão recebendo mais fomento e avaliar o porquê disso.

Usando o Brasil como exemplo, a maioria das agências financiadoras é ou está ligada à órgãos públicos, logo o financiamento das pesquisas acadêmicas ocorre também com verba pública, sendo mais transparente disponibilizar quais trabalhos recebem algum auxílio. Em casos de uso de verba privada, também é importante para o público e demais pesquisadores da área do artigo publicado avaliarem possíveis interferências na condução dos estudos para atender a interesses privados, risco que ocorre também na ciência.

A transparência dos resultados de uma pesquisa é exigida por algumas financiadoras públicas ao estabelecer que os pesquisadores ou projetos beneficiados publiquem artigos sobre o estudo, preferencialmente em acesso livre para leitura, seja em revistas que se declaram de acesso aberto ou o post-print em repositórios. Essa é uma tendência que não ocorre só no Brasil, mas, por exemplo, nos países da União Europeia que têm até 2020 a meta de ter todos os seus artigos livres para leitura.

Nesse contexto que a Crossref tornou mais fácil a inserção dos metadados dessas agências pelos seus associados, isso por meio do Funding Data que antes recebia o nome FundRef. A ferramenta pretende mensalmente padronizar esses dados, enviar para as agências e disponibilizar a lista publicamente para consulta.

Para que a atividade ocorra sem problemas os membros que depositam o DOI devem solicitar para os autores, na hora de submissão dos trabalhos, que insiram também os órgãos financiadores (grant-sponsor) e o número de processo (grant-num). Damasio ainda completou dizendo que hoje são mais de 12 mil financiadores por todo o mundo inscritas no Open Funder Registry e monitoradas pela Crossref.

Agora com a ferramenta, qualquer pessoa poderá acessar ao cruzamento de dados por meio dos filtros já existentes que inclui o nome da financiadora e ver qual publicação sobre um tema recebe mais verba de qual agência, entre diversas outros cruzamentos, como ver a tendência de área que uma instituição investe mais.

Ao selecionar como filtro algum tipo de financiadora, aparecerá nos resultados de busca antes dos nomes dos autores as agências financiadoras com os números de processos.

Confira nas imagens:

Filtros possíveis de busca de trabalhos científicos pela Crossref

(Possíveis filtros de busca pela Crossref, incluindo agências financiadoras)

 

Onde aparece o nome da financiadora com número do processo aprovado para receber o benefício

(Nome da financiadora e o número do processo aprovado para receber o benefício do trabalho publicado.)

 

ORCID: identificador digital de pesquisadores

Durante o webinar também foi apresentado aos participantes a interoperabilidade entre a Crossref e a ORCID (Open Researcher and Contributor ID), um identificador digital único e permanente similar ao DOI para trabalhos acadêmicos, mas nesse caso destinado a pesquisadores.

Isso porque sempre houve problemas de identificação dos autores em um artigo que tenham o sobrenome e iniciais iguais ou similares, sem contar as possíveis variações de iniciais de uma citação para o mesmo pesquisador, como citações que mencionam apenas o último nome e a primeira inicial e citações completas ou ainda alteração de nomes e problemas de transliteração de nomes (transcrever a escrita de um nome para o alfabéto romano).

Como solução, a ferramenta ORCID é um código alfanumérico gratuito que serve como um identificador único e permanente para agregar todas as publicações e atividades de um pesquisador, similar ao Currículo Lattes aqui no Brasil, porém a plataforma em parceria com a Crossref tem abrangência internacional.

Outra principal diferença da ORCID para as plataformas como o Lattes, é que junto com a Crossref todas as publicações de um pesquisador registrado que incluir seu código de identificação serão automaticamente armazenadas, enquanto no Lattes os acadêmico devem incluir em seus perfis os dados dos trabalhos apresentados de forma manual.

A ORCID não funciona apenas de forma automática, em situações que os trabalhos de um pesquisador não seja facilmente rastreável porque não tem um código DOI, por exemplo, ele também pode manualmente inserir seus trabalhos como ocorre na plataforma brasileira.

Para isso, os editores devem pedir aos autores que incluam no momento de submissão de seus trabalhos o seu código ORCID, com essa autorização, todos os depósitos de pesquisa anteriores e futuros estarão permanentemente na plataforma do autor sem que ele se preocupe em atualizar. Quem resolver se registrar na ORCID também controla as configurações de privacidade de seus trabalhos.

Confira abaixo uma animação da ORCID (em inglês) explicando como funciona a ferramenta de identificação digital:

What is ORCID? from ORCID on Vimeo.

Ficou interessado nas novas funcionalidades que os associados da Crossref podem aplicar? Comente aqui para sabermos.

Ah, se tiver interesse em inserir o DOI para sua revista e artigos ou trabalho de congressos e outros eventos científicos, entre em contato conosco.

O Galoá é membro oficial da Crossref para o depósito de DOI no Brasil.

Leia mais em:

Novidade na Crossref: Agora você pode registrar um DOI no seu preprint

Novidades na CrossRef, fique por dentro do que mudou!